terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Música – É Lady GaGa ou não é gaga?

Estou aqui, estreando esse blog, e não podia falar de um assunto diferente senão minha teoria maluca da gagueira de Lady GaGa. É o tipo de leitura pra quem não tem mais o que fazer da vida, tipo eu, mas no caso, ao invés de ler, estou escrevendo. Se você, caro leitor, chegou até essas linhas de meu texto e ainda não perdeu a paciência com o próprio, pensando coisas como: “Pqp, mas que m***** de texto que não vai acrescentar nada na minha vida” [setinha do mouse clicando no X da página], continue por aqui, pois pior do que isso eu creio que não consigo fazer.

Então, um bom fã de Lady GaGa sabe que o nome “GaGa” veio por causa da música “Radio Ga Ga”, da banda Queen. Bem, o nexo da música com a dita cuja, eu sei lá. Até pretendo explorar tais ramos pro final do texto (assim ele vai parecer mais culto), porém pra ter certeza da ligação entre a diva e a música do Queen é preciso ser mais do que um bom fã, coisa que eu não sou, valeu?

O que realmente importa (ao menos para que eu progrida no texto) é que, antes da minha pessoa descobrir o motivo para o nome artístico da cantora, costumava ter alguns momentos de devaneios [jura?]. Nessas ocasiões onde me abstraía do mundo, durante uma música de GaGa, ou não (sim, sou meio autista), cheguei a incrível teoria que de alguma forma ela sabia o significado da palavra “gaga” em nossa língua. É, isso mesmo, o último pronome pessoal reto de terceira pessoa do singular que usei refere-se à Lady GaGa, pode acreditar. Ela tinha que saber! Afinal, só assim tudo fazia sentido… o nome artístico “Lady GaGa”, escolhido pela própria (penso eu), era como uma forma de lançar ao mundo um enigma foda! [eu bem queria usar outro adjetivo que soasse melhor, mas não tenho um vocabulário tão vasto] Agora, pasme: o mais incrível e foda de tudo é que tal enigma só poderia ser desvendado por falantes da língua portuguesa!

Caralho, eu sou um gênio!

Tá, eu avisei desde o começo, desde a primeira postagem, que preferia gastar meus super neurônios com besteiras. Você que escolheu continuar. E pode falar, eu sei que esse mundo é bem grande, não fui o único ser que pensou nisso.

De qualquer forma, faz sentido. São tantas as músicas que têm trechos de gagueira: “ju-ju-ju-just dance”; “my poker face, my po-poker face”; “papa-paparazzi”; “roma-roma-ma”; “ale-alejandro, ale-alejandro”; “he ate my heart, he a-a-ate my heart out”; “that boy is a monster, m-m-m-monster”…

O único problema de toda essa teoria é: por que diabos a Lady GaGa traria um enigma ao mundo? Além do mais, o que ela ganha com isso? Se é um enigma, qual é a resposta?… A-ha! Ela é gaga! Frustrada desde o início de sua infância por não arrumar um namoradinho na escola, ela quer acabar com esses preconceitos contra os gaguinhos. E que forma é melhor de mostrar ao mundo que gago também é gente do que sendo uma cantora gaga super putona e famosa? Oras, eu disse que sou um gênio.

Brincadeiras à parte, aposto que vindo dela deve existir um motivo especial pro nome “GaGa”, sim. Apenas analisando um pouquinho a letra de “Radio Ga Ga” (e olha que eu nem sou bom em interpretação de textos), dá pra ver que a música fala de como o rádio foi importante para o crescimento de milhares de pessoas e como ele foi, infelizmente, ameaçado pelo surgimento de novas tecnologias, no caso, a televisão. Com a TV, o público passa a se interessar mais por shows e vídeos do que pelas canções e programas das rádios. “How music changes through the years” (“como a música muda através dos anos”), diz a letra.

Bem, se a GaGa gosta ou não gosta do bom e velho rádio, eu não faço a menor idéia. Mas acredito que sua bandeira seja bem essa… mostrar ao mundo como a música muda com o passar do tempo. Independente de você gostar de pop, axé, sertanejo ou rock, o que importa é estar aberto à mudança. E eu digo ao leitor: seja ela qual for.

sábado, 19 de dezembro de 2009

CINEMA-Atividade Paranormal-[Crítica]

Bem, acho legal estrear falando sobre uma estreia nos cinemas.

O dito cujo é Atividade Paranormal.

O enredo é basicamente em torno da vida de um casal que acaba de se mudar para uma nova casa, sério?!. Daí, atividades paranormais hãã começam a acontecer e eles decidem gravar tudo. Tipo, tudo mesmo.

Ficaria satisfeita em só mostrarem as gravações à noite. Acreditem, são as melhores partes.

Sim, a bosta do filme inteiro é sob a perspectiva de uma câmera caseira. Pros lerdos que não conhecem, tipo "Bruxa de Blair", "[REC]" e "Cloverfield".

Confesso que quase dormi saí da sala de cinema no começo...

Óóó lenga lenga....

Pensei que fosse um documentário sobre a vida de um casal entediante lê-se filme pôrno caseiro. Não, nem sexo tem. Porque eles fazem o favor de desligar a câmera quando isso acontece.

Pois bem, tô lá, linda e maravilhosa dormindo vendo o filme e achando um tédio... quando eles resolvem pôr a câmera dentro do quarto e deixar gravando durante a noite. Aí sim, eu resolvi acordar prestar mais atenção. Você fica meio que na expectativa do que vai acontecer nas noites seguintes.

Menines, pontos a favor para as atuações do casal de fulanos. Nunca vi mais gordos, porém são tão convincentes que chega um certo momento do filme que você meio que esquece que é de mentirinha e fica no climão de documentário paranormal. O filme consegue te pôr medo em coisas tão simples e que ACONTECEM de vez em quando com você: quem nunca escutou barulhos estranhos em casa, ouviu passos estando sozinho, ou deixou algo em algum lugar e depois não estava mais lá? POIS É...

Sem querer fazer spoiler, mas as seqüências finais são uma coisa meio loka sabe. Nessa hora você fica puto pela câmera ser caseira e ficar parada num lugar só. Teve um cara revoltado na sala de cinema gritando pro homi lá do filme pegar a câmera. euri . Adoro povo que interage com o filme. pobres

Achei o filme super hype. Um verdadeiro tapa na cara em filmecos que apelam pra sangue, orçamentos astronômicos e atuações exageradas. Pra se ter uma idéia, o filme foi rodado todo na casa do diretor, o orçamento foi aproxidamente de 11 mil dólares, com a bilheteria chegando à 100 mil dólares. Sim, é uma grande zebra.

Ele não te dá grandes sustos, porém te deixa com uma sensação de medo muito familiar. Cria uma atmosfera bem tensa.

Pra você que é cagão, não veja o filme sozinho.

Obs: Moça do Cinemark, eu te odeio. Por que raios vocês têm que abrir a porta da saída antes do filme terminar?!! Isso denuncia que o filme tá acabando e corta o clima, pô.

Está avisada.

Ah, já ia me esquecendo...

Tá rolando aí a versão pra download, assim como a versão para assitir online.

Ambas pra minha decepção mostram um final completamente diferente da versão de cinema, assim como algumas outras partes.

Pensando nisso, tá aqui pros curiosos pobres que não foram assistir no cinema, o final da versão lecal.


video

Inauguração!

Pois é... aqui estamos nós tentando descrever esse blog recém-criado.

Eis o ponto: De onde veio essa idéia genial aham, Cláudia de criação de um blog tão gostosinho? Dizemos a você, caro leitor, veio de uma tarde ensolarada, agradável, digna de comercial de margarina, onde dois deuses (Sheldonoff e Vyper) conversando através da via celestial MSN ¬¬’ resolveram criar um mecanismo altamente eficiente para matar o tédio mútuo. ou alimentá-lo, nunca se sabe

Você  deve estar se perguntando: “Acabo de descobrir que esta bosta de blog é feito por dois nerds desocupados e escrotos e ainda querem que eu continue lendo este cocô?” quanta referência à fezes, não?

Nossa resposta é: “Sim!”  Tá, na real, nem eu ia continuar lendo, mas... Afinal, convidamos você a matar mais uma vez, ou alimentar seu tédio navegando por essa querida página da internet.

Voltando ao início, o problema é... como descrevê-la? Oras, o “Cansei de Ser Nerdi” é indescritível! Teríamos que estar sob o domínio do espírito santo, mandado por aquele próprio “carinha”, pra conseguir chegar perto de tal feito! Por quê? Complexo (pra não dizer simples), desafio você, leitor, a encontrar blog com tanta diversidade de informações escritas por tão... - procurando no dicionário do Word um adjetivo – é... tão... aff, esquece. É um saco quando o cérebro dá um tilt desses no meio do texto... Infelizmente, você corre o risco de ler mais um texto escroto desses feitos por pessoas estúpidas que começam a falar sobre o fato de não conseguirem escrever decentemente em seu blog. Enfim, o que íamos dizer é que nós, os críticos do “Cansei de Ser Nerdi”, somos únicos, excepcionalmente lindos, tesudos, divertidos e sem conteúdo.

[incerteza on] Mas conteúdo é o que não vai faltar aqui! Nesse site você vai encontrar de tudo e mais um pouco. [incerteza off] Pena que provavelmente não teremos muito tempo pra escrever essas bobagens. Ah, mas isso é problema pro futuro.

Então, falando dos críticos...

Vyper – Uma menine alegre, feliz, de bem com a vida –n .Adora os animais lê-se cocotas, playsson’s, mulek’s piranha, Xuxa e toda a plebe  porque eles fazem a sua diversão, assim como falar bem deles - Paola Bracho’s laugh.

Atora cinema e musiquinhas merdas de um bando de viados e/ou lésbicas com as calças atochadas no rabo e clipes sem sentido (alternativas), assim como os viados do outro lado do mundo, os queridos coreanos e japas. Sim, ela tem um bom gosto cultural do caralho.  Humildade KD? Foi embora junto com a dignidade, mona.

Sim, ela caga pra qualquer outra opinião que não seja a dela, ou seja, uma arrogante fdp. E sim, ela irá tentar focar em manter vocês, leitores, acordados durante seus posts, ou com um mínimo de simpatia pelos mesmos.

Sheldonoff – Um cara foda, que teria tudo pra se tornar um nerd foda como o Sheldon daquela serizinha de TV, mas que prefere gastar seus neurônios com outras coisas. Muito focado, tentará dar o melhor de si para fazer com que os leitores passem um bom e divertido tempo pelo site. Devido à sua puta indecisão de libriano, ele pretende falar de todos os assuntos, mas sempre com um sarcasmo divertido ou não. Mas é claro, vai falar bastante desses tópicozinhos clichês tipo filmes e música. Aliás, falando de música, ele é bem eclético, conseguindo gostar de bandas como “The Cranberries”, o ex-grupo “Gaiola das Popozudas” e é claro, sua deusa “GaGa”. 

Aviso: Cuidado, leitor, você poderá confundi-lo com Machado de Assis.

Bem, depois dessa lenga lenga toda, espero que divirta-se com o nosso “nada nerd” blog.

Esperamos sugestões e criticas hein?! Não fiquem acanhados, apesar de sofrermos de odaxelagnia, não mordemos com freqüência.

Leia sem moderação!

Sheldonoff & Vyper